A Indústria do Esporte

Publicado em 17 dezembro 2013

3 comentários

O esporte é, acima de tudo, uma paixão. Mas, além de ser uma paixão, que envolve o sentimento e o entusiasmo das pessoas, ele é, também, uma atividade econômica. As estimativas atuais apontam o esporte, em suas diferentes modalidades – que vão do futebol ao golfe, conforme as preferências de cada país ou região – como o segmento econômico com a maior taxa de crescimento em todo o mundo. Essas mesmas estimativas indicam que o esporte deverá produzir riquezas em 2013, na ordem de US$ 1 trilhão.

Nos EUA, por exemplo, a indústria do esporte já está em estágio muito mais avançado e consolidado do que em outros países, incluindo o Brasil. Lá, a prática de esportes ou o simples acompanhamento das temporadas esportivas já fazem parte da cultura do país e, por questões de saúde pública, as ligas, os clubes e as próprias escolas e academias recebem substanciais incentivos fiscais do governo. Em decorrência dessa melhor estruturação, as instituições esportivas norte-americanas conseguem atrair um público enorme de aficionados, de torcedores ou de espectadores apaixonados, nos torneios e competições de muitas modalidades (basquete, basebol, vôlei, natação, canoagem, tênis, automobilismo, etc.). Em razão disso, nos EUA, as diversas modalidades esportivas conseguem reunir um elevado número de grandes patrocinadores, que acabam por movimentar muitos bilhões de dólares por ano.


O nosso panorama doméstico ainda está muito menos desenvolvido e consolidado. Aqui, apenas o futebol conseguiu atingir um estágio de maior estruturação, com mais profissionalismo e investimento. E, apesar de estar praticamente sozinho nessa posição, o futebol já movimenta valores significativos. Segundo a ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing, a indústria do esporte no Brasil movimentou, em 2012, cerca de R$ 31 bilhões, ou seja, mais de 0,6% do nosso PIB. E deve crescer mais.


A paixão do brasileiro pelo futebol é bem conhecida de todos nós. Mas, para se enxergar o potencial dessa paixão, às vezes é preciso considerar alguns eventos nos quais ela se materializa em proporções surpreendentes. No ano passado, o Corinthians Paulista levou mais de 30 mil torcedores para o mundial de clubes que se realizava no Japão, do outro lado do mundo. Neste ano, o Atlético Mineiro está levando para o Marrocos, onde está sendo disputado o mesmo torneio, mais de 25 mil torcedores apaixonados pelo Galo. São números muito significativos, especialmente quando convertidos para valores monetários.


Outro exemplo da importância do esporte na produção de riqueza pode ser visto no valor agregado pelos símbolos de clubes populares em peças do vestuário. Uma camisa das marcas mais famosas de material esportivo pode ser adquirida nas lojas brasileiras do ramo por um valor da ordem de R$ 80,00 (dependendo do modelo e da originalidade). Quando essa mesma camisa passa a contar com as cores e os emblemas de um clube com grande torcida, o seu preço de venda nas mesmas lojas costuma ultrapassar R$ 200,00. É por essa razão que os clubes europeus de futebol dão tanta importância à construção de lojas especializadas em seus estádios ou sedes, onde são comercializados uniformes, bolas e outros materiais esportivos personalizados. O torcedor ou mesmo o admirador visitante está comprando a marca e o emblema do clube. E isso pode não ter preço.


Um fato é certo: a partir do que já temos, deveríamos impulsionar em nosso país, a indústria do esporte. Preferencialmente envolvendo, também, outras modalidades que estão se tornando mais populares, como o vôlei, por exemplo. O potencial é enorme.

  • COMPARTILHE:

3 comentários para "A Indústria do Esporte"

André Gobbo
André Gobbo disse: 24 abril 2014
Parabéns pelo comentário! Vivi parte da minha infância nos EUA e posso dizer que eles estão muito à frente no assunto. O povo americano respira esportes, todas as modalidades são praticadas exaustivamente nas escolas e universidades até o aluno chegar ao nível de optar por um esporte como meio de vida. Aqui o atleta que consegue viver do esporte, pode ser considerado um herói. Creio estar no esporte o melhor meio de desenvolver o país, levando a criança à escola por meio de oportunidades criadas pelo esporte. Terrenos públicos, todos, deveriam ser obrigatoriamente transformados em quadras esportivas, e nossos jovens levados à pratica do esporte deixando o uso de drogas e a preguiça de lado. Louvável a iniciativa da MRV em investir em outras modalidades alem do futebol.
gessiane
gessiane disse: 09 setembro 2014
quais os conceitos e exemplos
Robson
Robson disse: 07 junho 2015
Parabens ao Barcelona por mais uma conquista! Jogou muito

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

É muito bom investir no esporte!

Publicado em 16 novembro 2016

1 comentários

Atualmente, a MRV Engenharia é a empresa privada brasileira que mais investe em marketing esportivo e no patrocínio de clubes e atletas. Levamos muito tempo para alcançar essa posição. Foi uma jornada. Mas, rendeu bons frutos e nos ensinou muito.Tudo começou em 1996, logo após os Jogos Olímpicos de Atlanta, onde as meninas do Brasil haviam conquistado a histórica Medalha de Bronze no voleibol de quadra. Apesar dessa importante vitória, algumas das nossas melhores atletas voltavam para casa sem...
Leia mais »

Como Afastar a Raposa do Galinheiro?

Publicado em 22 dezembro 2015

8 comentários

Ao contrário do que muita gente pensa, o futebol é o esporte mais popular do mundo, ou seja, é aquele com maior número de adeptos, praticantes e aficionados em todo o globo. Essa popularidade extravasou dos continentes originais, Europa e América do Sul, e passou a alcançar multidões na África e na Ásia, já ombreando com outras modalidades esportivas até mesmo nos EUA. Estima-se que, hoje em dia, o futebol movimente recursos financeiros da ordem de U$ 250 bilhões por ano, com as suas promoções,...
Leia mais »

A Fase Atual do Futebol no Brasil

Publicado em 30 julho 2015

1 comentários

Logo após o desastre da Copa perdida em 2014, publiquei neste blog o tópico "Lições da Maior Derrota do Futebol Brasileiro" em que esmiucei a necessidade de uma ampla reforma naquele esporte, alcançando jogadores, treinadores, árbitros, dirigentes, clubes, associações desportivas e demais instituições encarregadas do nosso futebol. Quando esperávamos uma reação imediata e eficiente àquela tragédia, descobrimos que o quadro poderia se deteriorar ainda mais. Tínhamos chegado ao fundo do poço, mas...
Leia mais »

Futebol e etc.

Publicado em 02 dezembro 2014

1 comentários

Na semana que passou, dois times mineiros sagraram-se campeões nacionais: o Atlético (campeão da Copa do Brasil) e o Cruzeiro (campeão da série "A" do Campeonato Brasileiro). Esse fato inédito para o esporte mineiro desde que as duas competições passaram a coexistir deslocou o eixo de interesse do futebol nacional para Belo Horizonte. Ambos os clubes – que já têm participação garantida na edição de 2015 da Copa Libertadores das Américas – sabem que boa parte desse êxito decorreu da eficiente...
Leia mais »

Lições da Maior Derrota do Futebol Brasileiro

Publicado em 16 julho 2014

28 comentários

Muito já se disse e muito vai ser dito ainda sobre o retumbante fracasso da seleção brasileira nesta última Copa do Mundo, especialmente nos dois últimos jogos. Confesso que eu também me espantei com o tamanho e a forma da surra que nos foi aplicada pela Alemanha. Antes dela, estávamos todos docemente iludidos por uma fantasia que nós mesmos tínhamos criado, numa espécie de autoengano coletivo.Foi preciso acontecer o absurdo placar de 7 x 1 do Mineirão, seguido do 3 x 0 no Mané Garrincha, para...
Leia mais »