A Volta dos Leilões

Publicado em 03 dezembro 2013

No dia 27 de Novembro, o Presidente da ABDIB – Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, empresário Paulo Godoy, publicou Editorial no órgão de comunicação da entidade em que classifica 2013 como o "ano das concessões". O júbilo daquele dirigente foi consequência dos leilões de concessão da rodovia federal BR-163 e dos aeroportos de Confins e do Galeão, em rápida sucessão e após um longo tempo de paralisia nas iniciativas governamentais de privatização. Na opinião do Presidente da ABDIB, a realização bem-sucedida desses leilões mostra que "as concessões no setor de transporte e logística começam, enfim, a deslanchar, criando perspectivas positivas de aceleração dos investimentos em infraestrutura nos próximos anos".


Na realidade, a decisão governamental em favor da busca de capitais privados para os grandes investimentos nacionais não se restringiu, apenas, ao setor de infraestrutura, pois voltaram a ser licitados, também, depois de longa interrupção, os lotes de exploração de petróleo e gás. É nesse âmbito mais global que a mudança estratégica do governo deve ser vista e comemorada. Não se trata apenas, da busca urgente e emergencial de capitais para viabilizar investimentos em setores estratégicos e, com isso, alavancar novamente a economia. Os efeitos dessa decisão são muito maiores e mais profundos: a gestão privada vai agregar muito maior eficiência aos empreendimentos concedidos e, ao cabo, garantir maior competitividade à produção nacional, seja no mercado interno, seja no disputado ambiente de trocas do mundo globalizado.


Nunca é demais lembrar que, o aumento de eficiência e de competitividade desses setores, além de possibilitar a recuperação de situações deterioradas ou insustentáveis, promoverá a consequente diminuição de custos, tanto nos insumos para as cadeias produtivas, como também, e principalmente, para o consumo final dos produtos e serviços. Mas é preciso acelerar o processo e torná-lo menos tímido e mais abrangente, alcançando em breve espaço de tempo, a concessão dos portos, por exemplo, para eliminar ou reduzir a fila de navios. Temos que recuperar o tempo perdido com as indecisões e modernizar logo a nossa economia.


Voltando ao Editorial da ABDIB: não resta a dúvida de que temos o que comemorar neste "ano das concessões". Mas, não podemos ficar só nisso. Quem sabe, tomamos juízo e detonamos em 2014 o tão esperado movimento de redução da nossa infernal burocracia. Essa seria uma medida complementar muito saudável, até mesmo para possibilitar que os capitais privados que foram atraídos para os investimentos leiloados possam efetivamente prestar todos os benefícios de gestão eficiente que deles esperamos. Os brasileiros gostariam muito de, daqui a doze meses, poder celebrar 2014 como o "ano da desburocratização".

  • COMPARTILHE:

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Renda Per Capita Líquida

Publicado em 08 março 2017

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – órgão vinculado ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão – acaba de divulgar os resultados principais das contas nacionais do exercício de 2016, quais sejam, o PIB – Produto Nacional Bruto e seus derivados diretos. O PIB, na realidade, corresponde à soma de todas as riquezas produzidas dentro do território nacional (desconsiderados os recebimentos recebidos do e as remessas enviadas para o exterior). Essa variável inclui...
Leia mais »

2017 vem aí!

Publicado em 29 dezembro 2016

3 comentários

É fácil aferir o sentimento dos brasileiros acerca do ano que está terminando. À medida que se aproxima o dia da virada de exercício, as manifestações, íntimas ou públicas, da grande maioria dos nossos patrícios só variam na forma ou no adjetivo de qualificação, mas, em geral, quase todas convergem para uma constatação fortemente depreciativa: vai-se embora um ano que não deixa saudades! De fato, foi um ano em que vivemos turbulências políticas e desastres econômicos sucessivos, que acabaram...
Leia mais »

Excesso de Justiça Não é Coisa Boa

Publicado em 31 agosto 2016

1 comentários

Existe uma enorme diferença entre uma sociedade estruturada com base em relações justas entre os cidadãos, com a observância geral dos direitos e sem a prepotência imposta pelos mais fortes, e outra em que os mecanismos de Estado utilizados para garantir essas mesmas relações justas e isonômicas são excessivamente exigidos, apresentam-se permanentemente congestionados e funcionam com intensidade além das expectativas razoáveis. Na primeira hipótese, temos uma situação equilibrada e saudável,...
Leia mais »

Juros Altos: Como Enfrentar Esse Inimigo

Publicado em 25 maio 2016

Antes de 1994, quando a URV (Unidade Real de Valor) foi substituída definitivamente pelo Real (a nova moeda que circula até hoje), a inflação era, de longe, o maior inimigo dos brasileiros e de nossa economia. De fato, àquela altura (junho de 1994), a inflação mensal era de 47,43% e a inflação anual alcançava o inacreditável patamar de 4.922%. Ou seja, o preço de todos os bens ou serviços subia quase 50% em um único mês, entre dois recebimentos consecutivos do mesmo salário!  Essa balbúrdia...
Leia mais »

Mazelas da Indústria

Publicado em 13 abril 2016

2 comentários

Os diversos fatores (internos e externos) que concorreram para debilitar a economia brasileira no momento atual combinam-se de maneira diferenciada em sua ação deletéria pelos diversos setores e segmentos. Por isso, algumas atividades acusaram mais rapidamente os seus efeitos. Também por isso, outros segmentos foram afetados mais fortemente. No presente tópico, quero destacar especificamente o comportamento do setor industrial nessa época de crise e alinhavar algumas das características...
Leia mais »