Cidades Médias

Publicado em 11 novembro 2014

6 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, vem concentrando parcelas cada vez maiores de suas atividades nas assim chamadas "Cidades de Porte Médio" ou, simplesmente "Cidades Médias". O acompanhamento local e direto desse processo, iniciado há cerca de duas décadas, acabou por favorecer-me com uma visão privilegiada acerca da natureza, intensidade, continuidade no tempo, abrangência territorial e demais características do movimento natural que alcançou a maioria dos municípios com essa tipificação. Ao longo de todo esse tempo de observação e análise, procurei buscar semelhanças na experiência internacional, especialmente em outros países e regiões em estágio de desenvolvimento superior ao nosso. E firmei a convicção de que, aqui como alhures (nos EUA, por exemplo), as "Cidades Médias" passaram a ser os principais pólos de desenvolvimento econômico, em expansão acelerada e atraindo para si a missão de terem se transformado na principal alavanca para formação do PIB nacional e de sustentação do nosso crescimento, quaisquer que sejam as suas vocações naturais.


De fato, se examinado detidamente, o movimento de transformação que atingiu as "Cidades Médias" de vocação industrial (Sorocaba, São José dos Campos, Piracicaba, Betim, etc.) não se distingue muito do observado naquelas de vocação agrícola (Londrina, Araçatuba, Maringá, Presidente Prudente, etc.), naquelas com vocação de serviços (Ribeirão Preto, Jundiaí, Feira de Santana, etc.) e, nem mesmo, naquelas que concentram atividades turísticas (Natal, João Pessoa, Olinda etc.). Todas elas têm em comum o fato de se terem transformado em importantes pólos regionais de desenvolvimento, com influência direta e crescente sobre territórios que abrigam populações até cinco vezes superiores às das sedes municipais que constituem os respectivos núcleos centrais. E, nesse processo, há uma indução natural à melhoria da renda, do nível de empregabilidade, dos hábitos de consumo e produção e da qualidade de vida em geral, que se propaga dos centros para os respectivos entornos. Esses efeitos são concretos e transparecem nitidamente em indicadores como o consumo de energia elétrica per capita, o movimento dos aeroportos, a melhoria da indústria hoteleira, a construção de "shopping centers", a sofisticação das instalações de entretenimento e o desenvolvimento do padrão cultural geral.  Em oposição às grandes metrópoles – quase todas enfrentando muitas dificuldades de expansão ou de sustentação de suas enormes populações – as "Cidades Médias" aparecem como a melhor e mais efetiva força capaz de alavancar o crescimento do país.


No entanto, esse movimento natural pode ser, como de fato está sendo, muito retardado e contido pela falta geral de planejamento e pela pequena efetividade das ações governamentais de estímulo e favorecimento. Falta, principalmente, investimento em logística – como indutor preponderante ao crescimento continuado das "Cidades Médias", de suas atividades vocacionadas e de suas áreas de influência.  Isso inclui, em muitos casos, vias modernas e multimodais para escoamento da produção ou para transporte de pessoas, garantia de pleno abastecimento energético às atividades produtivas atuais e futuras, além da implantação de equipamentos urbanos mais completos e eficazes nos núcleos centrais ou nas áreas especializadas (locais turísticos, portos, etc.). Tudo isso configura um grande desafio, mas que precisamos vencer, com aplicação e velocidade, para que o movimento de que tratei neste tópico não reste prejudicado, bem como não fique perdida a oportunidade de alavancagem econômica propiciada pelas "Cidades Médias". Elas podem e devem ser tratadas como "a bola da vez".

  • COMPARTILHE:

6 comentários para "Cidades Médias"

wilson Salvador
wilson Salvador disse: 13 novembro 2014
Tenho acompanhado atentamente suas postagens em seu blog. confesso que aprendo a cada vez em que leio e estudo seus comentários. Atualmente sou credenciado MRV Engenharia na cidade de Sorocaba e, orgulho-me de fazer parte dessa organização, cuja visão, é tão abrangente que poucos brasileiros conhecem. Parabéns pelo sucesso que nossa organização é hoje.

Forte Abraço e Sucesso Sempre!!!

Wilson Salvador
Adiel c costa
Adiel c costa disse: 17 novembro 2014
Isso já vem ocorrendo , mas infelizmente , a pressa , a falta de planejamento ,o capitalismo com a única visão do dinheiro , com políticos que só olhou para o presente ,corremos o risco ,de que nos próximos duzentos anos tenhas várias grandes metrópoles com os mesmos problemas das que já existem hoje , com a diferencia de que não teremos mais as cidades médias .....da medo do futuro
ricardo
ricardo disse: 19 novembro 2014
Otima postagem Rubens!!! Muito interessante ao comentar o potencial das cidades médias, entratanto existe um dogma na cidade media que os clientes querem comprar casas ao inves de apartamento. Como quebrar essa paradigma de cultural da aversao do condominio. O que acha ?
ricardo aguiar
ricardo aguiar disse: 19 novembro 2014
Otima postagem Rubens!!! Muito interessante ao comentar o potencial das cidades médias, entratanto existe um dogma na cidade media que os clientes querem comprar casas ao inves de apartamento. Como quebrar essa paradigma de cultural da aversao do condominio. O que acha ?
Rosa Sodre
Rosa Sodre disse: 07 setembro 2015
Rua Venezuela, 15 sala 5 Bairro Frezarin - Americana-SP.
Gostaria muito de fazer uma parceria para vender os empreendimentos da
MRV, aqui em Americana-SP. Comecei a trabalhar com a MRV. em 1996 vendendo o Residencial Carolina, fui várias vezescampeã de vendas trabalhei em todos lançamentos, fui tb. para vender em Piracicaba e Campinas vendendo o Parque das Águas o maior e mais lindo residencial.
Hoje as construtoras passam os empreendimentos para as Imobiliárias as
Vendas de lançamentos.
ATT;
Rosa Sodré

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Melhoria nas Cidades

Publicado em 07 julho 2015

11 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, construiu e entregou a moradia de 260 mil famílias, desde a sua fundação, há 35 anos. Considerando que o tamanho familiar médio dos nossos clientes é de aproximadamente três pessoas por família, podemos garantir, com orgulho, que um a cada 250 brasileiros mora em um imóvel construído pela MRV. Mas, como perseguimos, obstinadamente, o objetivo de nos constituirmos em uma empresa perene e sustentável, fizemos mais do que simplesmente entregar moradias bem...
Leia mais »

Porque a Construção continua desempregando

Publicado em 31 março 2015

7 comentários

De acordo com o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, nos últimos cinco meses com dados já disponíveis (outubro de 2014 a fevereiro de 2015), o Setor da Construção Civil registrou um saldo negativo de 250 mil postos de trabalho. Em outros termos, nesse período e em todo o país as demissões excederam as admissões em cerca de 10% da força de trabalho contratada anteriormente. É o maior índice de desemprego entre todos os setores da...
Leia mais »

2014, um ano vitorioso

Publicado em 23 dezembro 2014

7 comentários

Tenho feito, a cada final de ano, uma avaliação resumida sobre o desempenho da nossa Construtora (MRV Engenharia) durante o exercício. Procuro, nessas ocasiões, dividir com os nossos clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e parceiros, informações sobre os eventuais sucessos e fracassos, preocupações e alegrias, previsões e realizações, usando, sempre que possível, uma linguagem de simples compreensão e imagens comparativas. Vou manter a tradição, mais uma vez.Apesar das dificuldades...
Leia mais »

Um setor em constante mudança

Publicado em 18 novembro 2014

2 comentários

18/11: A evolução tecnológica nem sempre tem sido bem compreendida, principalmente entre nós. É muito repetida a queixa de que a rápida automação de processos, a mecanização de tarefas e o uso intensivo dos recursos de informática estariam engolindo postos de trabalho ou comprometendo a empregabilidade. Essa é uma visão imprecisa de quem não enxerga o verdadeiro alcance do progresso e seu impacto positivo na renda e na qualidade de vida de todas as pessoas. Na prática, qualquer país, setor...
Leia mais »

Troca de Tecnologia

Publicado em 26 agosto 2014

7 comentários

No tópico antecedente deste blog mencionei o moderno processo de gestão, usualmente denominado de "benchmarking", para justificar a conveniência de buscar sempre exemplos vencedores, estejam eles onde estiverem, e utilizar as experiências bem-sucedidas em nosso próprio benefício, ou seja, para ajudar a resolver os problemas da realidade em que estamos inseridos. Diante das possíveis e esperadas críticas que vivem repetindo o surrado e equivocado chavão segundo o qual os problemas nacionais são...
Leia mais »