Day After

Publicado em 23 setembro 2014

6 comentários

O calor do processo eleitoral e as estratégias de marketing disciplinadamente observadas por todos os candidatos desta corrida presidencial impedem que nós, os eleitores comuns, façamos um juízo claro das competências e propósitos de cada um deles para lidar com os problemas que estão travando a economia brasileira. Ninguém sabe, com precisão, como o futuro presidente – qualquer que seja ele – vai lidar com esse assunto importantíssimo no "day after", ou seja, após a vitória nas eleições. E, no entanto, esse terá que ser o foco imediato e prioritário para que o país reencontre o caminho do crescimento e, a um só tempo, possa garantir a elevação das rendas e salários, melhorar o bem-estar geral, manter a empregabilidade, facilitar o combate à inflação e estancar a perda de reservas e o desequilíbrio fiscal.


Já no primeiro dia do mandato, o novo chefe da nação e sua equipe terão que fazer escolhas e acionar providências estratégicas de estímulo a, pelo menos, quatro importantes segmentos econômicos que vêm sofrendo de forma mais significativa os efeitos da crise. Destaco os seguintes: turismo (incluindo a facilitação da atração de nacionais e estrangeiros), construção imobiliária (com destaque para o Programa "Minha Casa, Minha Vida"), a indústria de transformação (com a retomada dos índices de ocupação das instalações fabris e com a diversificação seletiva do parque produtivo nacional) e, finalmente, os equipamentos de infraestrutura (portos, aeroportos, ferrovias, rodovias e demais itens de logística). Isso não é tudo, mas seria o básico e mais premente.


É claro que, para possibilitar a reativação dos segmentos destacados no parágrafo antecedente, terão que ser tomadas decisões que favoreçam, também, a sustentabilidade econômica e a retomada do crescimento geral. Quanto a isso, destaco o combate rigoroso e implacável às causas que contribuíram para o recrudescimento inflacionário e para o déficit fiscal (contas internas e externas), enfatizando o controle de gastos públicos, a defasagem cambial e a redução da carga tributária. Além disso, o novo presidente não poderá descuidar da concepção e implantação de um programa específico para a intensificação dos investimentos no país, utilizando os instrumentos da segurança jurídica, da estabilidade dos contratos e regulamentos, da transparência contábil e da mitigação da excessiva burocracia.


Deixei propositadamente para o final desse elenco resumidíssimo de providências estratégicas a serem acionadas no "day after" da posse, um conjunto que vem sendo tratado pela mídia como símbolo da excessiva intervenção governamental na economia e de seus efeitos na insegurança prospectiva: os assim chamados "preços administrados". Com urgência igual e mesma prioridade, terão que ser desarmados os "gatilhos" que estão segurando os preços da energia e dos derivados de petróleo. Isso é importantíssimo não apenas por causa dos prejuízos causados às geradoras e distribuidoras de energia e à própria Petrobras, mas também, para que possa ser recuperada a possibilidade de se fazer um planejamento seguro das condições econômicas futuras em cada negócio. Essa é a agenda mínima que me pareceu importante explicitar neste tópico.

  • COMPARTILHE:

6 comentários para "Day After"

Nathália Soeiro Monteiro
Nathália Soeiro Monteiro disse: 23 setembro 2014
Caro Presidente,

Vivemos um momento preocupante em nosso país.
Acompanhamos um crescimento de 1,8% ao ano, e uma queda no PIB pelo segundo trimestre consecutivo.
O cenário que estamos inseridos não reflete a realidade, uma vez que o governo está manipulando os preços da energia elétrica, petróleo e transporte público. Como se não bastasse, acompanhamos o BACEN atuando no mercado cambial futuro.
Tudo isso se deu a partir de um conjunto de fatores, incluindo a enorme carga tributária a que estamos submetidos, e ao micro gerenciamento praticado pelo Governo.
Concordo com os segmentos citados pelo senhor, os quais precisam de ações estratégicas, tais como o Turismo, Construção Imobiliária (sou trainee da MRV e acompanho de perto o cenário que estamos inseridos), Indústria de Transformação e Equipamentos de Infraestrutura.
Se as políticas econômicas praticadas pelo atual governo se mantiverem, os economistas já preveem uma profunda crise financeira para 2015.
O que nos resta é votar de maneira consciente, para que o próximo ano seja de ajuste, e posteriormente o Brasil recupere seu crescimento e os investimentos voltem a ser realizados.
Ananias Gomes do nascimento
Ananias Gomes do nascimento disse: 04 outubro 2014
Ola dr Rubens quanto tempo. Eu trabalhei na sua empresa 10 anos em Piracicaba como mestre de obras agora estou sem emprego conto com sua ajuda obrigado um abraço aguardo seu contato Ananias 019994205526
José de Souza (Rabelo) Araujo
José de Souza (Rabelo) Araujo disse: 23 outubro 2014
Eu conheço o bem e admiro as capacidades da mrvengenharia,acompanho suas aplicações em geral sou um admirador de sua administração, trabalhei na Empresa. E que dera que um por cento dos que responde pela Empresa fosse como sua personalidade, lutei muito para melhor, só que fique sem forças pois tudo era contra seus princípios e inaceitável para mim,saí da Empresa e foi e é triste conviver com pessoas que fazem as coisas distorcidas,agora isto bem de saúde e a saúde e a admiração a garra nunca era acabar pois isto pertence a alma,Felicidades bons tempo virá s quem busca isto com você um Brasileiro nato,.
Jose de Souza Rabelo Araujo
Jose de Souza Rabelo Araujo disse: 23 outubro 2014
Eu conheço o bem e admiro as capacidades da mrvengenharia,acompanho suas aplicações em geral sou um admirador de sua administração, trabalhei na Empresa. E que dera que um por cento dos que responde pela Empresa fosse como sua personalidade, lutei muito para melhor, só que fique sem forças pois tudo era contra seus princípios e inaceitável para mim,saí da Empresa e foi e é triste conviver com pessoas que fazem as coisas distorcidas,agora isto bem de saúde e a saúde e a admiração a garra nunca era acabar pois isto pertence a alma,Felicidades bons tempo virá s quem busca isto com você um Brasileiro nato,.
Jose Souza Rabelo Araujo
Jose Souza Rabelo Araujo disse: 23 outubro 2014
Eu conheço o bem e admiro as capacidades da mrvengenharia,acompanho suas aplicações em geral sou um admirador de sua administração, trabalhei na Empresa. E que dera que um por cento dos que responde pela Empresa fosse como sua personalidade, lutei muito para melhor, só que fique sem forças pois tudo era contra seus princípios e inaceitável para mim,saí da Empresa e foi e é triste conviver com pessoas que fazem as coisas distorcidas,agora isto bem de saúde e a saúde e a admiração a garra nunca era acabar pois isto pertence a alma,Felicidades bons tempo virá s quem busca isto com você um Brasileiro nato,.
Rabelo
Rabelo disse: 23 outubro 2014
Eu conheço o bem e admiro as capacidades da mrvengenharia,acompanho suas aplicações em geral sou um admirador de sua administração, trabalhei na Empresa. E que dera que um por cento dos que responde pela Empresa fosse como sua personalidade, lutei muito para melhor, só que fique sem forças pois tudo era contra seus princípios e inaceitável para mim,saí da Empresa e foi e é triste conviver com pessoas que fazem as coisas distorcidas,agora isto bem de saúde e a saúde e a admiração a garra nunca era acabar pois isto pertence a alma,Felicidades bons tempo virá s quem busca isto com você um Brasileiro nato,.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Uma Omissão Imperdoável

Publicado em 21 junho 2017

O empresariado brasileiro é composto, em sua grande maioria, por lideranças responsáveis e comprometidas com os princípios da ética e da cidadania que fazem prosperar uma nação. Por isso, seria natural que essa parcela preponderante – isoladamente ou por meio das entidades de classe – se manifestasse em todas as oportunidades em que esse padrão de comportamento deixasse de ser observado em alguma ocasião especial, por qualquer agente importante. No entanto, estamos vivendo uma dessas ocasiões,...
Leia mais »

O Indispensável Estado de Direito

Publicado em 08 junho 2017

Os constituintes de 1988 tiveram o cuidado de destacar na nossa Carta Magna as assim chamadas “cláusulas pétreas”, ou seja, os dispositivos permanentes que não podem ser eliminados ou substancialmente alterados, nem mesmo por Emenda Constitucional, ainda que esta venha a tramitar regularmente no Congresso Nacional. Não inovamos neste aspecto. Pelo contrário, esse cuidado tem sido observado em muitas outras circunstâncias e países. No nosso caso, cuidamos de proteger disposições importantes,...
Leia mais »

Operação Carne Fraca: Lições e Reflexões

Publicado em 20 março 2017

Quando se preparavam para encerrar mais uma semana nesta atribulada temporada, os brasileiros foram surpreendidos pelas notícias de uma mega operação deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, na última sexta-feira, sob o codinome de “Carne Fraca”. O alcance dessa operação, todos já conhecem: foram mobilizados mais de 1.100 agentes policiais em diversos estados e executados 309 mandados judiciais, incluindo prisões preventivas, prisões temporárias e conduções coercitivas, além...
Leia mais »

Manifestação de Confiança

Publicado em 31 outubro 2016

1 comentários

Ou, trocando em miúdos: "A maior indústria do Brasil passa por seu pior momento, mas existe uma luz no fim do túnel".Este ano de 2016 está sendo particularmente difícil para a indústria da construção civil brasileira. Evidentemente, esse setor não poderia passar ao largo da intensa crise financeira que assola o país, decorrente de um profundo e irresponsável desequilíbrio fiscal e que vem gerando, como conseqüência, recessão, descapitalização, perda generalizada de renda e desemprego. Ninguém...
Leia mais »

Falsos Privilégios

Publicado em 26 setembro 2016

4 comentários

No início deste mês, o Ministro Geddel Vieira Lima pronunciou uma frase que alcançou grande repercussão, mesmo não tendo sido entendida, por muitos, em seu exato significado: "Tomei uma injeção e doeu. Doeu demais, mas fui convencido pelo médico de que era necessária e agora já estou me sentindo muito melhor". Com essa frase, o Ministro tentava explicar que, tal qual a injeção dolorida, as reformas previdenciária e trabalhista são absolutamente necessárias e que o governo teria que convencer a...
Leia mais »