Empreendedorismo e a geração de novas oportunidades

Publicado em 26 setembro 2013

4 comentários

Sou um entusiasmado com o papel desempenhado pela figura do empreendedor e, por consequência, com a atitude do empreendedorismo na longa e luminosa jornada de progresso da humanidade. Foi um hominídeo empreendedor que, há cerca de três milhões de anos, transformou pela primeira vez um pedaço de pedra em um instrumento de corte. E, por causa do empreendedorismo contido nesse ato simbólico e em muitos outros instantes subsequentes da nossa trajetória, o homem, que competia em desvantagem com outras espécies na luta pela sobrevivência, transformou-se na mais bem sucedida forma de vida deste planeta.


Já registrei em outro espaço que o empreendedor é, antes de mais nada, uma pessoa disposta a correr riscos para viabilizar um objetivo, no qual costuma concentrar o seu foco, os seus esforços, as suas habilidades, o seu otimismo e o seu entusiasmo. Com essa base, adotei a definição de que, em geral, o empreendedor é um inconformado com a inexistência de determinado produto ou serviço, de um método eficiente de produzi-los ou de uma forma de melhorar-lhes a qualidade, a quantidade disponível ou o preço de venda. E, nessa busca pelo objetivo, quando é bem sucedido, costuma ser premiado financeiramente, ainda que, na maior parte das vezes, não seja essa a sua motivação inicial.


Pego esse gancho para focar, desta vez, a realidade nacional, pois precisamos, mais do que nunca, estimular o movimento do empreendedorismo para aproveitar o nosso elevado potencial dessa característica comportamental. De fato, a taxa de empreendedorismo no Brasil, quando expressa como porcentagem de empreendedores na PEA (População Economicamente Ativa) é pouco inferior a 30%, ou seja, situa-se em patamares mais elevados do que os observados na maioria dos países, conforme demonstram os estudos realizados sistematicamente pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM) e divulgados em parceria com o IBQP, SESI, SENAI e SEBRAE.


Nesse quadro mais geral do movimento identificado como empreendedorismo, acho importantíssimo destacar a presença daquilo que começa a ser rotulado como "empresa de alto impacto". O Instituto Empreender Endeavor organização internacional de estímulo ao empreendedorismo e que vem atuando no Brasil desde 2000, utiliza esse conceito para identificar as empresas que buscam incessantemente a inovação (tecnológica, gerencial, nos produtos, etc.). Já tive oportunidade de registrar, também em outro espaço, uma informação relevante nesse particular: os estudos do Instituto Endeavor, calibrados pela observação de sua própria rede de iniciativas empresariais apoiadas, mostram que as "empresas de alto impacto" são capazes de gerar até cem vezes mais postos de trabalho dos que as empresas convencionais, em um mesmo período de tempo. E, o mais importante, os postos de trabalho criados nas "empresas de alto impacto" costumam ser menos voláteis e muito melhor remunerados do que os existentes no resto do mercado.


Paralelamente a tudo isso, há que se resgatar também as informações divulgadas pelo IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, segundo as quais existem atualmente no Brasil pouco mais de onze milhões e meio de empresas privadas, sendo que apenas cerca de 33 mil delas podem ser classificadas como de "alto impacto" pelo nível de inovação e crescimento, sendo a maioria surgida no âmbito de redes semelhantes à apoiada pelo Instituto Endeavor ou de outras iniciativas de estímulo ao empreendedorismo.


Como aproveitar o nosso potencial empreendedor para, com ele, melhor enfrentarmos essa conjuntura econômica desfavorável? Não é tão simples como se possa pensar. Temos que reverter um ambiente econômico, político, jurídico e organizacional ainda muito hostil ao empreendedorismo. Já tive oportunidade de registrar resumidamente os principais obstáculos: o excesso de burocracia e regulamentação, a elevada carga tributária, a dificuldade de crédito, a carência de investimentos em inovação e pesquisa científica, a presença disseminada de forte preconceito antiempresarial no meio acadêmico, os pesados encargos sobre os salários, as deficiências de infraestrutura e do sistema educacional e a falta de estímulo governamental para as pequenas iniciativas. Mas, essa é uma luta que vale a pena lutar. Quem sabe, com esse inconformismo transformamos um pedaço de pedra em um instrumento de corte?

  • COMPARTILHE:

4 comentários para "Empreendedorismo e a geração de novas oportunidades"

José de Souza (Rabelo) Araujo
José de Souza (Rabelo) Araujo disse: 26 setembro 2013
BOM DIA SENHOR RUBENS MENIN,EU ACOMPANHO JÁ A TEMPO SEI DAS LUTAS E DIFICULDADES QUE E NESTE PAIS A MOROSIDADES AS SOLUÇÕES,TIVE O PRIVILEGIO EM CONHECER O SENHOR NAS OBRAS SEI DO SEU COMPROMISSO COM OS CLIENTES,EU TRABALHO COM OBRAS DESDE 1971 EM AONDE FOI MEU INICIO DE CARTEIRA FICHADA COMO FUNÇÃO PEDREIRO,AZULEJISTA,ENCARREGADO DESDE 1985,MORO EM SJCAMPOS TRABALHEI NA EMPRESA MRV 1° VEZ PARA CLIENTE EM ACABAMENTOS,2º VEZ REGISTRADO PELA EMPRESA ENTRE 2008 AO 2013 NÃO CONSEGUI ME ADAPTAR-SE ADMINISTRAÇÃO AQUI,SOU FÃ DESTA EMPRESA DE VERDADES EU CONHEÇO A HISTORIA DA EMPRESA E TENHO ORGULHO DAS DEDICAÇÃO DAS MAIORIAS QUE TRABALHA MRV,GOSTO DESTA EMPRESA E POR ISSO LUTO PARA ESTE RETORNO A EMPRESA,FICO MUITO TRISTE ESTAR POR FORA POR MOTIVOS QUE LUTEI PARA VENCER OS ABSURDOS DO DIA DIA,GOSTARIA QUE REVESTE ESTE MEU PEDIDO POR FAVOR,SEI QUE AS LUTAS SÃO DIFÍCIL MAS AS VITORIAS SERÃO CERTAS PARA QUE BUSCA BOM RESULTADOS,DEUS ABENÇOE OS MRVEENSSE,MUITO OBRIGADO.
Jose de Souza Rabelo Araujo
Jose de Souza Rabelo Araujo disse: 26 setembro 2013
BOM DIA SENHOR RUBENS MENIN,EU ACOMPANHO JÁ A TEMPO SEI DAS LUTAS E DIFICULDADES QUE E NESTE PAIS A MOROSIDADES AS SOLUÇÕES,TIVE O PRIVILEGIO EM CONHECER O SENHOR NAS OBRAS SEI DO SEU COMPROMISSO COM OS CLIENTES,EU TRABALHO COM OBRAS DESDE 1971 EM AONDE FOI MEU INICIO DE CARTEIRA FICHADA COMO FUNÇÃO PEDREIRO,AZULEJISTA,ENCARREGADO DESDE 1985,MORO EM SJCAMPOS TRABALHEI NA EMPRESA MRV 1° VEZ PARA CLIENTE EM ACABAMENTOS,2º VEZ REGISTRADO PELA EMPRESA ENTRE 2008 AO 2013 NÃO CONSEGUI ME ADAPTAR-SE ADMINISTRAÇÃO AQUI,SOU FÃ DESTA EMPRESA DE VERDADES EU CONHEÇO A HISTORIA DA EMPRESA E TENHO ORGULHO DAS DEDICAÇÃO DAS MAIORIAS QUE TRABALHA MRV,GOSTO DESTA EMPRESA E POR ISSO LUTO PARA ESTE RETORNO A EMPRESA,FICO MUITO TRISTE ESTAR POR FORA POR MOTIVOS QUE LUTEI PARA VENCER OS ABSURDOS DO DIA DIA,GOSTARIA QUE REVESTE ESTE MEU PEDIDO POR FAVOR,SEI QUE AS LUTAS SÃO DIFÍCIL MAS AS VITORIAS SERÃO CERTAS PARA QUE BUSCA BOM RESULTADOS,DEUS ABENÇOE OS MRVEENSSE,MUITO OBRIGADO.
Jose Souza Rabelo Araujo
Jose Souza Rabelo Araujo disse: 26 setembro 2013
BOM DIA SENHOR RUBENS MENIN,EU ACOMPANHO JÁ A TEMPO SEI DAS LUTAS E DIFICULDADES QUE E NESTE PAIS A MOROSIDADES AS SOLUÇÕES,TIVE O PRIVILEGIO EM CONHECER O SENHOR NAS OBRAS SEI DO SEU COMPROMISSO COM OS CLIENTES,EU TRABALHO COM OBRAS DESDE 1971 EM AONDE FOI MEU INICIO DE CARTEIRA FICHADA COMO FUNÇÃO PEDREIRO,AZULEJISTA,ENCARREGADO DESDE 1985,MORO EM SJCAMPOS TRABALHEI NA EMPRESA MRV 1° VEZ PARA CLIENTE EM ACABAMENTOS,2º VEZ REGISTRADO PELA EMPRESA ENTRE 2008 AO 2013 NÃO CONSEGUI ME ADAPTAR-SE ADMINISTRAÇÃO AQUI,SOU FÃ DESTA EMPRESA DE VERDADES EU CONHEÇO A HISTORIA DA EMPRESA E TENHO ORGULHO DAS DEDICAÇÃO DAS MAIORIAS QUE TRABALHA MRV,GOSTO DESTA EMPRESA E POR ISSO LUTO PARA ESTE RETORNO A EMPRESA,FICO MUITO TRISTE ESTAR POR FORA POR MOTIVOS QUE LUTEI PARA VENCER OS ABSURDOS DO DIA DIA,GOSTARIA QUE REVESTE ESTE MEU PEDIDO POR FAVOR,SEI QUE AS LUTAS SÃO DIFÍCIL MAS AS VITORIAS SERÃO CERTAS PARA QUE BUSCA BOM RESULTADOS,DEUS ABENÇOE OS MRVEENSSE,MUITO OBRIGADO.
Rabelo
Rabelo disse: 26 setembro 2013
BOM DIA SENHOR RUBENS MENIN,EU ACOMPANHO JÁ A TEMPO SEI DAS LUTAS E DIFICULDADES QUE E NESTE PAIS A MOROSIDADES AS SOLUÇÕES,TIVE O PRIVILEGIO EM CONHECER O SENHOR NAS OBRAS SEI DO SEU COMPROMISSO COM OS CLIENTES,EU TRABALHO COM OBRAS DESDE 1971 EM AONDE FOI MEU INICIO DE CARTEIRA FICHADA COMO FUNÇÃO PEDREIRO,AZULEJISTA,ENCARREGADO DESDE 1985,MORO EM SJCAMPOS TRABALHEI NA EMPRESA MRV 1° VEZ PARA CLIENTE EM ACABAMENTOS,2º VEZ REGISTRADO PELA EMPRESA ENTRE 2008 AO 2013 NÃO CONSEGUI ME ADAPTAR-SE ADMINISTRAÇÃO AQUI,SOU FÃ DESTA EMPRESA DE VERDADES EU CONHEÇO A HISTORIA DA EMPRESA E TENHO ORGULHO DAS DEDICAÇÃO DAS MAIORIAS QUE TRABALHA MRV,GOSTO DESTA EMPRESA E POR ISSO LUTO PARA ESTE RETORNO A EMPRESA,FICO MUITO TRISTE ESTAR POR FORA POR MOTIVOS QUE LUTEI PARA VENCER OS ABSURDOS DO DIA DIA,GOSTARIA QUE REVESTE ESTE MEU PEDIDO POR FAVOR,SEI QUE AS LUTAS SÃO DIFÍCIL MAS AS VITORIAS SERÃO CERTAS PARA QUE BUSCA BOM RESULTADOS,DEUS ABENÇOE OS MRVEENSSE,MUITO OBRIGADO.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Eficiência na Gestão Pública

Publicado em 30 setembro 2015

7 comentários

O atendimento no sistema público de saúde já vem sendo questionado e criticado pelos brasileiros há muito tempo. De fato, ao contrário de muitas outras nações (inclusive algumas tidas como desenvolvidas) optamos, aqui, por um sistema básico de saúde, de natureza pública, para assistência gratuita e universal. Foi uma decisão política nacional que vem se consolidando ao longo do tempo, criando expectativas de direitos e, por isso mesmo, alimentando as justas queixas pelas deficiências...
Leia mais »

A importância do Capital Cívico para uma nação

Publicado em 25 agosto 2015

14 comentários

No item anterior deste blog mencionei o livro de Alain Peyrefitte, publicado no Brasil com o título "A Sociedade de Confiança", É uma esplêndida obra de referência. Nela, o intelectual francês e homem de larga experiência política (onze vezes ministro de Estado) apresentou dados copiosos para embasar a suas convicções de como teriam ocorrido o desenvolvimento europeu e a estruturação das sociedades naquele continente. No conjunto, ressalta a proeminência da "confiança", ingrediente essencial...
Leia mais »

Filantropia

Publicado em 11 agosto 2015

3 comentários

Muito já se especulou e se disse sobre a influência das raízes culturais (incluindo valores, princípios e circunstâncias) sobre as atitudes e comportamentos característicos dos diversos povos e sociedades. Não pretendo aventurar-me nesses meandros sociológicos e filosóficos, tanto porque muitos ainda comportam preferências e controvérsias, como também e principalmente pelo fato de que pretendo abordar, no espaço restrito deste tópico, apenas os hábitos nacionais relacionados com a filantropia,...
Leia mais »

A Falta de Engenheiros no Brasil

Publicado em 24 junho 2015

1 comentários

Na série "A Engenharia e Seu Ensino – (1) a (5)" que desenvolvi neste mesmo blog entre fevereiro e março de 2013, complementada ao final daquele ano pelo tópico "Mais Engenharia e Mais Engenheiros", examinei detalhadamente a carência brasileira por esse tipo de profissional e as características especiais do ensino nacional nesse particular. Cerca de dois anos depois é inevitável que eu volte ao assunto, atualizando idéias e agregando aspectos especiais do momento atual. Ainda faltam...
Leia mais »

Capacidade de Gestão

Publicado em 07 maio 2015

6 comentários

Desta vez, começo este tópico com um depoimento pessoal, mas que pode ser de grande utilidade para introduzir as questões que pretendo enfatizar aqui. Estive recentemente com um grande investidor estrangeiro, que havia acreditado no Brasil e investido aqui quantidades significativas de capital. Esse investidor estrangeiro perdeu, no período mais recente, com as dificuldades enfrentadas pela economia nacional, volumes financeiros razoáveis e estava justamente consolidando as suas estratégias...
Leia mais »