Investimento em Infraestrutura e o PIB (1)

Publicado em 11 outubro 2012

1 comentários

O PIB, ou Produto Interno Bruto, justamente por ser a soma dos valores de todos os bens e serviços produzidos em uma região ou país durante um intervalo de tempo (geralmente um ano), costuma ser um bom indicador do nível de atividade de qualquer economia ou, em outros termos, da quantidade de riqueza gerada naquela mesma região ou país. De fato, quando o PIB de um país sobe de valor de um ano para outro, ou melhor ainda, em uma sucessão continuada de anos, geralmente sobem, na mesma proporção, os salários, os ganhos de capital e outros rendimentos obtidos com atividades econômicas de qualquer natureza. De outro lado, quando o crescimento do PIB é pequeno ou negativo durante um período muito longo, a recessão correspondente aparece na forma de reduções da massa salarial, dos rendimentos básicos de capital, do número de postos de trabalho e, consequentemente, da própria qualidade de vida das populações envolvidas. É por essa razão, que um crescimento robusto e continuado do PIB é sempre perseguido como meta política e econômica.

Como a febre medida em um termômetro pode indicar o estado de saúde de um paciente, as variações anuais do PIB podem indicar o estado de saúde de uma economia. O diagnóstico da doença é outro problema, porque costuma envolver um número muito grande de variáveis e de hipóteses, além de comportar, também, preferências ideológicas distintas. Mas, existe um fator acerca do qual não há muita controvérsia: infraestrutura deficiente, obsoleta ou deteriorada quase sempre é a causa principal de quadros recessivos ou de crescimento do PIB em taxas insatisfatórias (inferiores ao seu nível potencial).



O conjunto de equipamentos de infraestrutura, incluindo transporte (rodovias, ferrovias, hidrovias, portos, aeroportos, metrôs, etc.), comunicações (telefonia, transmissão de dados, etc.), energia (geração, transmissão e distribuição), armazenamento (silagem e logística), saneamento básico (água, esgoto, drenagem e tratamento de resíduos) e outros itens complementares, é essencial para garantir a eficiência econômica e a geração de riqueza, ou seja, o crescimento de todas as parcelas agregadas no PIB. E, para isso, é necessário o investimento continuado e significativo nos equipamentos de infraestrutura. No competitivo mercado globalizado, o potencial de produtividade de cada empresa, de cada equipamento e de cada trabalhador somente pode ser alcançado em um ambiente adequadamente dotado de facilidades infraestruturais. Na falta destas, fica muito caro ou impossível produzir a preços competitivos.

Como essa questão tornou-se uma doença crônica no Brasil, decidi abordá-la de forma mais detalhada em tópicos subsequentes deste blog, a partir das considerações preliminares alinhavadas nos parágrafos anteriores.
  • COMPARTILHE:

1 comentários para "Investimento em Infraestrutura e o PIB (1)"

Vera Lúcia Majdalani
Vera Lúcia Majdalani disse: 11 outubro 2012
É muito importante seus textos, pois servem de amparo para muitos corretores de imóveis que est~]ao entrando no mercado de trabalho imobiliário.
Atenciosamente, Vera Majdalani.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Renda Per Capita Líquida

Publicado em 08 março 2017

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – órgão vinculado ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão – acaba de divulgar os resultados principais das contas nacionais do exercício de 2016, quais sejam, o PIB – Produto Nacional Bruto e seus derivados diretos. O PIB, na realidade, corresponde à soma de todas as riquezas produzidas dentro do território nacional (desconsiderados os recebimentos recebidos do e as remessas enviadas para o exterior). Essa variável inclui...
Leia mais »

2017 vem aí!

Publicado em 29 dezembro 2016

3 comentários

É fácil aferir o sentimento dos brasileiros acerca do ano que está terminando. À medida que se aproxima o dia da virada de exercício, as manifestações, íntimas ou públicas, da grande maioria dos nossos patrícios só variam na forma ou no adjetivo de qualificação, mas, em geral, quase todas convergem para uma constatação fortemente depreciativa: vai-se embora um ano que não deixa saudades! De fato, foi um ano em que vivemos turbulências políticas e desastres econômicos sucessivos, que acabaram...
Leia mais »

Excesso de Justiça Não é Coisa Boa

Publicado em 31 agosto 2016

1 comentários

Existe uma enorme diferença entre uma sociedade estruturada com base em relações justas entre os cidadãos, com a observância geral dos direitos e sem a prepotência imposta pelos mais fortes, e outra em que os mecanismos de Estado utilizados para garantir essas mesmas relações justas e isonômicas são excessivamente exigidos, apresentam-se permanentemente congestionados e funcionam com intensidade além das expectativas razoáveis. Na primeira hipótese, temos uma situação equilibrada e saudável,...
Leia mais »

Juros Altos: Como Enfrentar Esse Inimigo

Publicado em 25 maio 2016

Antes de 1994, quando a URV (Unidade Real de Valor) foi substituída definitivamente pelo Real (a nova moeda que circula até hoje), a inflação era, de longe, o maior inimigo dos brasileiros e de nossa economia. De fato, àquela altura (junho de 1994), a inflação mensal era de 47,43% e a inflação anual alcançava o inacreditável patamar de 4.922%. Ou seja, o preço de todos os bens ou serviços subia quase 50% em um único mês, entre dois recebimentos consecutivos do mesmo salário!  Essa balbúrdia...
Leia mais »

Mazelas da Indústria

Publicado em 13 abril 2016

2 comentários

Os diversos fatores (internos e externos) que concorreram para debilitar a economia brasileira no momento atual combinam-se de maneira diferenciada em sua ação deletéria pelos diversos setores e segmentos. Por isso, algumas atividades acusaram mais rapidamente os seus efeitos. Também por isso, outros segmentos foram afetados mais fortemente. No presente tópico, quero destacar especificamente o comportamento do setor industrial nessa época de crise e alinhavar algumas das características...
Leia mais »