Leniência ou Mais Rigor?

Publicado em 15 agosto 2013

6 comentários

A mídia está repercutindo, com intensidade, a questão da eventual formação de cartel para fornecimento, em anos anteriores, de equipamentos e serviços ferroviários em São Paulo e no Distrito Federal. É um assunto gravíssimo e que, em minha opinião, precisa ser rigorosamente investigado e discutido. E, se confirmadas as suposições iniciais, devem ser exemplarmente punidos todos os responsáveis, incluindo, decisores, contratantes e fornecedores.


Os brasileiros estão acompanhando, com surpresa pela novidade dos procedimentos, o noticiário que dá conta da existência de um acordo de leniência (uma espécie de delação premiada) firmado no âmbito das providências ativadas pelo CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, órgão vinculado ao Ministério da Justiça e encarregado de garantir a correção no funcionamento do mercado e seus agentes. Esse teria sido um procedimento acionado a pedido da principal empresa fornecedora dos equipamentos, uma gigante internacional com atuação em todo o mundo, que pretenderia corrigir os seus erros com uma atitude de colaboração responsável nas investigações, com vistas à diminuição das respectivas punições.


Nada tenho contra o mecanismo do acordo de leniência (que encontra sucedâneos nos procedimentos praticados por agências equivalentes de países mais estruturados, como o Office of Fair Trade do Reino Unido, por exemplo) desde que o resultado final seja a ampliação do alcance e da celeridade das investigações e que a mão pesada da Justiça acabe por atingir, com rigor, todos os envolvidos. Esse não é, portanto, um mecanismo que possa ser banalizado com a repetição ou com a aplicação indiscriminada. Precisa ser administrado com severidade. Não pode virar um expediente semelhante ao que estamos utilizando ao classificar todos os crimes como "hediondos", sem qualquer efeito prático além do de desgastar a tipificação de atrocidades inaceitáveis contra os direitos básicos do cidadão, como a tortura de Estado, por exemplo. A propósito, nunca é demais alertar para a seguinte consequência: quando todos os crimes forem hediondos, nenhum crime mais será hediondo.


A formação de cartéis é, entre todos os crimes econômicos, o mais grave e perverso. Além de alcançar o cidadão desprotegido com um injusto aumento de preços, esse crime atenta contra o próprio direito essencial à existência de um mercado livre e saudável e à liberdade de empreender. Não é um "malfeito" qualquer. É algo que atenta contra o direto básico das pessoas, que só estarão devidamente protegidas na presença de um ambiente de concorrência leal e de efetiva competição entre seus fornecedores. É esse ambiente que garante preços justos, qualidade nos produtos e serviços e todos os demais atributos que resultam da simples existência da possibilidade de opção por parte dos consumidores. Incluindo a não menos importante busca de níveis tecnológicos progressivamente superiores por parte de todos os agentes econômicos, como forma de garantir a respectiva sobrevivência e evolução em um mercado saudável e isento de conchavos, arreglos e manipulações.

  • COMPARTILHE:

6 comentários para "Leniência ou Mais Rigor?"

D IJARA PORTELLA
D IJARA PORTELLA disse: 30 agosto 2013
EU, DIJARA PORTELLA CORRETORA DE IMOVEIS TENHO ACOMPANHADO OS PRODUTOS DA MRV, E GOSTO DO TIPO DE PRODUTO FORMA DE PAGAMENTO
ETC.
A MRV ME E ORA A TENDENCIA É C
werbeth
werbeth disse: 11 setembro 2013
a sociedade tem que se moderar e ser mais sabia,pois a Midia é a banda podre da sociedade,que nos corrompi de forma Agresiva mostrando nos apenas o que vem dar ibope,precisamos de uma cultura de leitores e criadores de opniões próprias,isso não vejo principalmente o que vem de MMN,MKT,internet,pois informamos apenas no que queremos que acreditem sem nos preocupar no fluxo de informação coerente e infunda veis,no brasil não existe reporter de qualidade mas sim um bando de matraqueiro.
werbeth mrv
werbeth mrv disse: 11 setembro 2013
a sociedade tem que se moderar e ser mais sabia,pois a Midia é a banda podre da sociedade,que nos corrompi de forma Agresiva mostrando nos apenas o que vem dar ibope,precisamos de uma cultura de leitores e criadores de opniões próprias,isso não vejo principalmente o que vem de MMN,MKT,internet,pois informamos apenas no que queremos que acreditem sem nos preocupar no fluxo de informação coerente e infunda veis,no brasil não existe reporter de qualidade mas sim um bando de matraqueiro.
werbeth ribeiro
werbeth ribeiro disse: 11 setembro 2013
a sociedade tem que se moderar e ser mais sabia,pois a Midia é a banda podre da sociedade,que nos corrompi de forma Agresiva mostrando nos apenas o que vem dar ibope,precisamos de uma cultura de leitores e criadores de opniões próprias,isso não vejo principalmente o que vem de MMN,MKT,internet,pois informamos apenas no que queremos que acreditem sem nos preocupar no fluxo de informação coerente e infunda veis,no brasil não existe reporter de qualidade mas sim um bando de matraqueiro.
werbeth ribeiro dos inocentes
werbeth ribeiro dos inocentes disse: 11 setembro 2013
a sociedade tem que se moderar e ser mais sabia,pois a Midia é a banda podre da sociedade,que nos corrompi de forma Agresiva mostrando nos apenas o que vem dar ibope,precisamos de uma cultura de leitores e criadores de opniões próprias,isso não vejo principalmente o que vem de MMN,MKT,internet,pois informamos apenas no que queremos que acreditem sem nos preocupar no fluxo de informação coerente e infunda veis,no brasil não existe reporter de qualidade mas sim um bando de matraqueiro.
werbethmrv
werbethmrv disse: 11 setembro 2013
a sociedade tem que se moderar e ser mais sabia,pois a Midia é a banda podre da sociedade,que nos corrompi de forma Agresiva mostrando nos apenas o que vem dar ibope,precisamos de uma cultura de leitores e criadores de opniões próprias,isso não vejo principalmente o que vem de MMN,MKT,internet,pois informamos apenas no que queremos que acreditem sem nos preocupar no fluxo de informação coerente e infunda veis,no brasil não existe reporter de qualidade mas sim um bando de matraqueiro.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Uma Omissão Imperdoável

Publicado em 21 junho 2017

O empresariado brasileiro é composto, em sua grande maioria, por lideranças responsáveis e comprometidas com os princípios da ética e da cidadania que fazem prosperar uma nação. Por isso, seria natural que essa parcela preponderante – isoladamente ou por meio das entidades de classe – se manifestasse em todas as oportunidades em que esse padrão de comportamento deixasse de ser observado em alguma ocasião especial, por qualquer agente importante. No entanto, estamos vivendo uma dessas ocasiões,...
Leia mais »

O Indispensável Estado de Direito

Publicado em 08 junho 2017

Os constituintes de 1988 tiveram o cuidado de destacar na nossa Carta Magna as assim chamadas “cláusulas pétreas”, ou seja, os dispositivos permanentes que não podem ser eliminados ou substancialmente alterados, nem mesmo por Emenda Constitucional, ainda que esta venha a tramitar regularmente no Congresso Nacional. Não inovamos neste aspecto. Pelo contrário, esse cuidado tem sido observado em muitas outras circunstâncias e países. No nosso caso, cuidamos de proteger disposições importantes,...
Leia mais »

Operação Carne Fraca: Lições e Reflexões

Publicado em 20 março 2017

Quando se preparavam para encerrar mais uma semana nesta atribulada temporada, os brasileiros foram surpreendidos pelas notícias de uma mega operação deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, na última sexta-feira, sob o codinome de “Carne Fraca”. O alcance dessa operação, todos já conhecem: foram mobilizados mais de 1.100 agentes policiais em diversos estados e executados 309 mandados judiciais, incluindo prisões preventivas, prisões temporárias e conduções coercitivas, além...
Leia mais »

Manifestação de Confiança

Publicado em 31 outubro 2016

1 comentários

Ou, trocando em miúdos: "A maior indústria do Brasil passa por seu pior momento, mas existe uma luz no fim do túnel".Este ano de 2016 está sendo particularmente difícil para a indústria da construção civil brasileira. Evidentemente, esse setor não poderia passar ao largo da intensa crise financeira que assola o país, decorrente de um profundo e irresponsável desequilíbrio fiscal e que vem gerando, como conseqüência, recessão, descapitalização, perda generalizada de renda e desemprego. Ninguém...
Leia mais »

Falsos Privilégios

Publicado em 26 setembro 2016

4 comentários

No início deste mês, o Ministro Geddel Vieira Lima pronunciou uma frase que alcançou grande repercussão, mesmo não tendo sido entendida, por muitos, em seu exato significado: "Tomei uma injeção e doeu. Doeu demais, mas fui convencido pelo médico de que era necessária e agora já estou me sentindo muito melhor". Com essa frase, o Ministro tentava explicar que, tal qual a injeção dolorida, as reformas previdenciária e trabalhista são absolutamente necessárias e que o governo teria que convencer a...
Leia mais »