Mercado de Aluguéis

Publicado em 02 maio 2013

4 comentários

Há algum tempo, sob o título de "A Lei do Inquilinato e a Favelização" abordei, neste blog, os efeitos da nossa legislação inadequada na expansão do número e da área de moradias precárias nas principais cidades brasileiras. No mesmo tópico examinei, também, o efeito desse quadro na limitação do estoque de imóveis habitacionais disponíveis para ocupação imediata e, por consequência, na elevação dos preços dos aluguéis. De fato, os aluguéis residenciais brasileiros estão entre os mais caros do mundo e a expectativa mínima dos proprietários, nas novas locações, é a de obter um rendimento mensal equivalente a 0,8% do valor patrimonial do imóvel (preço de venda). Na maioria dos países desenvolvidos (EUA e Europa) essa taxa raramente supera 0,4% do valor do imóvel oferecido em locação. Volto ao mesmo assunto, no presente tópico, para acrescentar algumas observações adicionais que julgo oportunas.


Em primeiro lugar, acho importante registrar que os preços atuais dos aluguéis no mercado brasileiro constituem uma anomalia que decorre, justamente, do desequilíbrio entre a demanda (elevada) e a oferta (limitada) de imóveis. A manutenção de rendimentos (aluguéis) no patamar de 0,8% do valor patrimonial dos imóveis, de forma continuada e por prazos muito longos, não parece razoável e eles devem voltar aos padrões normais, mais cedo ou mais tarde, por pressão do próprio mercado. Essas pressões podem se consubstanciar no deslocamento de algumas opções de investimentos financeiros para o setor imobiliário. Isso porque, em qualquer economia razoavelmente estável, rendimentos mensais da ordem de 0,3 a 0,4% do valor patrimonial de ativos constituem prêmios muito atrativos e costumam competir vantajosamente com a maioria das opções de investimento financeiro. Isso é especialmente verdadeiro, no caso dos imóveis destinados à locação (modalidade conservadora de investimento em que os riscos são muito baixos), pela circunstância de que a própria valorização imobiliária trata de atualizar, preservar ou até mesmo ampliar, o valor patrimonial do bem. No caso particular do mercado imobiliário nacional, em que existe um déficit habitacional da ordem de oito milhões de moradias e onde o número de construções não se aproxima da demanda representada pela constituição anual de 1,5 milhão de novas famílias, o risco do investimento em aluguéis é ainda menor, pela reduzida taxa de vacância (período médio de desocupação).


Em minha opinião, o mercado brasileiro de locações residenciais deve evoluir para uma forma mais estável, ajustada e segura nos próximos anos, conforme o comportamento observado em economias mais desenvolvidas, com um aumento significativo de investimentos no setor. Esse aumento de inversões não deve se restringir, exclusivamente, aos segmentos que costumam buscar essa forma mais conservadora de investimento (aposentados, fundos de pecúlio, etc.), mas agregará, também, os aportes de companhias especializadas para esse propósito específico. Para essa última classe de investidores de longo prazo em ativos seguros e rentáveis, as experiências recentes no segmento de "built to suit" (modalidade em que o investidor constrói imóveis ajustados às necessidades específicas de um determinado ocupante industrial ou comercial), incentivada após a edição recente da Lei n° 12.744/2012, poderá se generalizar e expandir-se ao próprio segmento habitacional.


De uma forma ou de outra, tenho a convicção de que os investimentos em imóveis destinados à locação deverão expandir-se significativamente nos próximos anos, até alcançarem a proporção usual em economias mais desenvolvidas e equilibradas. No processo, esse movimento representará, também, uma ferramenta importantíssima para o melhor equacionamento do nosso enorme déficit habitacional.

  • COMPARTILHE:

4 comentários para "Mercado de Aluguéis"

JOSE AILTON DOS SANTOS
JOSE AILTON DOS SANTOS disse: 17 maio 2013
BOA NOITE RUBENS ,

GOSTARIA QUE FALASSE A RESPEITO SOBRE AS espequitativa MERCADO PARA ESSE ANO ?
Fabíola
Fabíola disse: 01 outubro 2013
Eu realmente adorei tudo escrito nesse site e quero já agradecer e dizer que voltarei para visitar novamente, aguardo novidades.
Nazária
Nazária disse: 11 janeiro 2014
Eu realmente adorei tudo escrito nesse site e quero já agradecer e dizer que voltarei para visitar novamente, aguardo novidades.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Melhoria nas Cidades

Publicado em 07 julho 2015

11 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, construiu e entregou a moradia de 260 mil famílias, desde a sua fundação, há 35 anos. Considerando que o tamanho familiar médio dos nossos clientes é de aproximadamente três pessoas por família, podemos garantir, com orgulho, que um a cada 250 brasileiros mora em um imóvel construído pela MRV. Mas, como perseguimos, obstinadamente, o objetivo de nos constituirmos em uma empresa perene e sustentável, fizemos mais do que simplesmente entregar moradias bem...
Leia mais »

Porque a Construção continua desempregando

Publicado em 31 março 2015

7 comentários

De acordo com o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, nos últimos cinco meses com dados já disponíveis (outubro de 2014 a fevereiro de 2015), o Setor da Construção Civil registrou um saldo negativo de 250 mil postos de trabalho. Em outros termos, nesse período e em todo o país as demissões excederam as admissões em cerca de 10% da força de trabalho contratada anteriormente. É o maior índice de desemprego entre todos os setores da...
Leia mais »

2014, um ano vitorioso

Publicado em 23 dezembro 2014

7 comentários

Tenho feito, a cada final de ano, uma avaliação resumida sobre o desempenho da nossa Construtora (MRV Engenharia) durante o exercício. Procuro, nessas ocasiões, dividir com os nossos clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e parceiros, informações sobre os eventuais sucessos e fracassos, preocupações e alegrias, previsões e realizações, usando, sempre que possível, uma linguagem de simples compreensão e imagens comparativas. Vou manter a tradição, mais uma vez.Apesar das dificuldades...
Leia mais »

Um setor em constante mudança

Publicado em 18 novembro 2014

2 comentários

18/11: A evolução tecnológica nem sempre tem sido bem compreendida, principalmente entre nós. É muito repetida a queixa de que a rápida automação de processos, a mecanização de tarefas e o uso intensivo dos recursos de informática estariam engolindo postos de trabalho ou comprometendo a empregabilidade. Essa é uma visão imprecisa de quem não enxerga o verdadeiro alcance do progresso e seu impacto positivo na renda e na qualidade de vida de todas as pessoas. Na prática, qualquer país, setor...
Leia mais »

Cidades Médias

Publicado em 11 novembro 2014

6 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, vem concentrando parcelas cada vez maiores de suas atividades nas assim chamadas "Cidades de Porte Médio" ou, simplesmente "Cidades Médias". O acompanhamento local e direto desse processo, iniciado há cerca de duas décadas, acabou por favorecer-me com uma visão privilegiada acerca da natureza, intensidade, continuidade no tempo, abrangência territorial e demais características do movimento natural que alcançou a maioria dos municípios com essa tipificação....
Leia mais »