Segurança do Trabalho na Construção Civil

Publicado em 26 março 2013

18 comentários

Segundo a versão mais atualizada do Anuário Estatístico da Previdência Social, foi computado no país, no exercício de 2011, o total de 711.164 acidentes do trabalho. Desse total, 313.131 (44,0%) ocorreram no âmbito da Indústria e já incluem os 59.808 (8,4%) acidentes relacionados especificamente com a Construção Civil. Se considerada a participação relativa de cada setor na ocupação da força nacional de trabalho, 7,5% para a Construção Civil e 22,2% para o conjunto da Indústria, percebe-se que o primeiro está contribuindo significativamente para abaixar a média geral do segundo. Mas, apesar disso, a taxa de acidentes do trabalho na Construção Civil ainda precisa ser reduzida, até mesmo, para que alcancemos os índices observados em outros países mais organizados e seguros (Suiça, Finlândia, Alemanha, etc.).


Evidentemente, essas comparações diretas nem sempre indicam a exata natureza das coisas que estão sendo cotejadas e foram registradas no parágrafo antecedente apenas como uma referência geral de contextualização. Distorções maiores seriam obtidas, por exemplo, se examinados apressadamente os números de acidentes na Administração Pública (3,2%) e no grupo de atividades de Educação, Saúde e Serviços Sociais (10,0%), que, somados, alcançariam 13,2% e poderiam apontar, enganosamente, para a conclusão de que seria pouco seguro trabalhar nos serviços de governo, uma vez que essas parcelas envolvem 16,3% da força nacional de trabalho.


De todo modo, feitas essas ressalvas, merece ser mais detalhadamente examinado o número total de acidentes de trabalho apontado no Anuário para a Construção Civil. De fato, apenas três quartas partes desses acidentes dispõem de informações mais detalhadas (46.539 eventos), por terem sido registrados com a respectiva CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho). Dessa subamostra, 84,4% correspondem aos acidentes típicos, 13,5% correspondem aos acidentes no trajeto entre residência e local de trabalho e cerca de 2,0% estão associados às doenças ocupacionais. A primeira dessas parcelas pode ser mais rapidamente diminuída, com o esforço conjunto das empresas, dos sindicatos e do governo, na forma de algumas iniciativas já ativadas.


Estive examinando mais diretamente, em viagens recentes, a situação da segurança do trabalho nos canteiros de obras dos EUA, do México e da China. Pude constatar que as normas e os procedimentos utilizados pelas empresas brasileiras de Construção Civil, no que diz respeito a esses tópicos, são mais eficazes e seguros do que os praticados naqueles países. Essas e outras razões (entre as quais destaco a mecanização crescente dos nossos canteiros, conforme já abordei neste blog) explicam a significativa melhoria dos índices nacionais de acidentes de trabalho na Construção Civil no período mais recente. E vejo, com satisfação, que um grande número de empresas nacionais do setor está firmemente empenhado no esforço de melhorar ainda mais essa situação.


O caso da MRV, por exemplo (com índices virtualmente nulos de acidentes em suas obras), é exemplar. A empresa ativou um programa organizado de controle e conscientização, com ações permanentes de saúde e segurança no trabalho, que alcançam sistematicamente o conjunto atual de 300 canteiros e o elenco de cerca de 30 mil colaboradores. Para tanto, a nossa construtora mantém uma equipe permanente de 412 profissionais especialmente qualificados para os serviços especializados de Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho, incluindo a rigorosa vigilância da aplicação e observância das rígidas normas de segurança implantadas pela Companhia. Tenho muito orgulho dos resultados já alcançados nesse esforço e a expectativa de novas melhorias com a ativação de parcerias estratégicas com os sindicatos e com os organismos governamentais especializados.

  • COMPARTILHE:

18 comentários para "Segurança do Trabalho na Construção Civil"

elidiano daniel
elidiano daniel disse: 27 março 2013
alguma vaga aberta na area de segurança no trabalho
Rochésley Simões
Rochésley Simões disse: 27 março 2013
Se alguma empresa estiver querendo baixar esse índice pode está me contactando que sou formado na área de Segurança do Trabalho.\n\nSegurança em primeiro lugar juntamente com a produtividade andando unidos.
Anderson Lapa Silva
Anderson Lapa Silva disse: 27 março 2013
Concordo prenamento com voce sr rubens.

E sei o quanto e dificil quando se trata de segurança do trabalho na construção civil,pois minha primeira esperiencia como tecnico de segurança foi na area civil e gostei porque segurança nessa area e dificil mais aprendi muito tambem.

E gostaria muito de fazer parte desse time de segurança do trabalho da MRV e pode adquirir ainda mais conhecimento de segurança do trabalho nessa area.
Solange Pereira de Faria
Solange Pereira de Faria disse: 21 agosto 2013
Sr. Rubens seu blog me ajudou muito com meu TCC, excelente obrigado
Ednei de moura
Ednei de moura disse: 19 setembro 2013
Estou desponivel para ocupar uma vaga de Tecnico Segurança do Trabalho tambem sou formado em Meio Ambiente.
Aluisio da conconceiao silva
Aluisio da conconceiao silva disse: 24 setembro 2013
olá quero fazer parte dessa equipe de tecnicos, me formei em 2012
o motivo que me levou a me profissionalizar nessa area, porque tenho aprox:25anos na const:civil,e não sabia o quanto essa é importante e atuante em todas areas que envolve risco.
sei que ainda tenho muito o que aprender ,só espero que o senhor possar me dar.
Desde já agradeço.
Aluisio da conconceiao silva
Aluisio da conconceiao silva disse: 24 setembro 2013
olá quero fazer parte dessa equipe de tecnicos, me formei em 2012
o motivo que me levou a me profissionalizar nessa area, porque tenho aprox:25anos na const:civil,e não sabia o quanto essa profissão é importante e atuante em todas areas que envolve risco.
sei que ainda tenho muito o que aprender ,só espero que o senhor possar me dar uma chance.
Desde já agradeço.
Ubiratan Santos
Ubiratan Santos disse: 25 setembro 2013
Informações segurança do trabalho em construção de pontes
Curso Segurança do Trabalho
Curso Segurança do Trabalho disse: 15 outubro 2013
Se não me engano, o ramo da construção civil foi o pioneiro e o que alavancou a ST no Brasil.
Apartamentos do Futuro | nossoimovel
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Blog Corporativo MRV Engenharia -?? Mercado Imobiliário e lançamentos de apartamentos e casas
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Clauton Veloso Pugas
Clauton Veloso Pugas disse: 18 maio 2015
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Fernanda Ferreira
Fernanda Ferreira disse: 18 maio 2015
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Por que os imóveis na planta se valorizam tanto? | Guia do Empreendimento
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
SEGURANÇA EM CONDOMÍNIOS FECHADOS | Imóveis Pronto e na Planta (11) 96785-8687 Nurishaa da Abyara
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Seu Apartamento Ideal - Acabamento | nossoimovel
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Seu Apartamento Ideal - Preço | nossoimovel
Não podemos de esquecer de recomendar a contratação de seguro para os funcionários
Fani
Fani disse: 26 janeiro 2016
Olha esse site é bem bolado.

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

O que é uma empresa sustentável?

Publicado em 23 julho 2015

5 comentários

Embora "sustentabilidade" tenha se transformado na palavra da moda – e talvez por isso mesmo –, há uma grande confusão sobre esse conceito. A maior parte das pessoas acha que uma empresa é dita sustentável quando adota parques e praças e cuida do "verde" ou, no máximo, quando ela obedece as normas ambientais ou desenvolve posturas ecologicamente corretas. Claro que respeitar o meio ambiente e cuidar dele é uma atitude importantíssima e representa um requisito mínimo para se alcançar a...
Leia mais »

O envelhecimento das nações e a previdência

Publicado em 18 junho 2014

9 comentários

A população mundial está envelhecendo rapidamente. Os especialistas em demografia calculam, agora, que o planeta não deverá ultrapassar mais o contingente populacional de 10 bilhões de habitantes e que a sua população total passará a diminuir dentro de poucas décadas. Isso ocorre, basicamente, pela diminuição generalizada da taxa de fecundidade (n° de filhos por mulher) e pelo aumento da longevidade média decorrente das melhorias alimentares e de saúde (número de anos da expectativa de vida ao...
Leia mais »

Filantropia e Legado entre Gerações

Publicado em 19 setembro 2013

1 comentários

A sociedade norte-americana é singular em sua forma de entender a educação e de tratar as instituições que se dedicam à importantíssima tarefa de preparar e formar a população daquele país. Há, entre os hábitos, costumes e regras vigentes nos EUA, pelo menos três que são emblemáticos, conforme resumirei a seguir:1) Os norte-americanos aceitam como obrigação natural dos cidadãos residentes em cada comunidade (bairro, cidade, condado, etc.) o custeio das escolas públicas de nível básico, pago na...
Leia mais »

Uma Parceria de Esperança

Publicado em 10 setembro 2013

Já mencionei diversas vezes neste blog a minha convicção de que as empresas bem-sucedidas têm responsabilidades e obrigações diante da sociedade e do ambiente que lhes proporcionaram o êxito e o sucesso. E uma parte importante desses compromissos está consubstanciada na obrigação, que cada empresa tem, de contribuir para a efetiva melhoria da qualidade de vida e da perspectiva de ascensão social ou de progresso humano das comunidades mais diretamente envolvidas com as respectivas atividades ou...
Leia mais »

Licenciamento Ambiental Desvirtuado

Publicado em 08 agosto 2013

2 comentários

Temos uma tendência natural para ir, pouco a pouco, complicando as coisas, burocratizando os processos, transformando procedimentos simples em rituais absurdamente complexos e demorados, criando empecilhos, taxas e custos extras e envolvendo equipes cada vez mais numerosas, caras e dedicadas a defender, em primeiro lugar, os seus próprios interesses corporativos e benefícios funcionais. Essa característica não é exclusiva de um setor ou de um ramo de atividade, sendo antes, uma tendência...
Leia mais »