Seu Apartamento Ideal - Tamanho

Publicado em 22 outubro 2013

21 comentários

Depois da localização, de que tratei no tópico precedente deste blog, o tamanho passa a ser o fator mais importante na escolha certa do apartamento a ser adquirido. Esse fator também merece um exame criterioso por parte dos compradores potenciais, para que a escolha seja adequada, conveniente e satisfatória. Isso porque, quanto maior a área construída de um imóvel, maior será o seu preço de venda, se as demais características forem semelhantes (localização, acabamento, etc.).


Na realidade, o padrão idealizado pelos compradores tem sofrido uma mudança muito rápida em função das novas características dos moradores (famílias menos numerosas, incluindo solteiros, e novos hábitos de vida, agregando maior exigência pelos espaços comuns e por vagas de garagem). Mas, muitos compradores ainda ficam influenciados pelos antigos padrões de arquitetura e de uso das residências. E acabam pagando mais caro por uma moradia que, além do mais, acaba não sendo satisfatória para os hábitos atuais. Isso faz muita diferença na escolha.


Atualmente, a grande maioria dos lançamentos de novos prédios de apartamentos inclui apenas unidades com três e dois quartos, sendo que esse último tipo representa mais de 80% dos imóveis ofertados. Praticamente não se vê mais apartamentos de quatro quartos, que era o sonho de consumo daqueles que optavam por uma moradia espaçosa. A oferta desse tipo de habitação está sendo rapidamente substituída por apartamentos de três quartos de tamanho maior (entre 70m2 e 150m2) com a apreciada suíte de casal, que deve contar com um banheiro mais espaçoso e confortável e com um bom closet. Já os apartamentos de dois quartos costumam ser projetados com área construída variando entre 45m2 e 70m2. Esses padrões arquitetônicos se ajustam aos novos hábitos de vida e às características das novas famílias, que evoluíram de 3,8 pessoas por moradia na década de 1980 para apenas 1,8 pessoas por unidade nos tempos atuais e que não admitem mais espaço desnecessariamente ocioso e que demande cuidado, manutenção e limpeza (essa característica é cada vez mais presente, seja nos apartamentos ocupados por um número crescente de solteiros, seja nas unidades em que vivem famílias nas quais a mulher desenvolve atividades de trabalho fora do lar).


Os padrões modernos de arquitetura incluem alguns itens obrigatórios, como o family room (área que agrega a sala de estar com a cozinha americana integrada) e uma grande variedade de ambientes e equipamentos nas áreas comuns. A respeito desses últimos, é importante observar que, nos novos hábitos de bem morar, muitas das atividades sociais, de lazer, de convivência e de entretenimento migraram dos apartamentos para as áreas comuns dos edifícios (salão de festas, espaço gourmet, churrasqueira, quadra esportiva, etc.). Essa é uma característica importante porque, além de evitar espaços ociosos e caros em cada unidade, tem um grande impacto no preço. Espaços compartilhados têm o custo de construção também compartilhado.


Por outro lado, os compradores atuais exigem, cada vez mais, um espaço maior de garagem. Na década de 1980 o padrão de demanda dos clientes da MRV era de 0,15 vagas por unidade habitacional. Atualmente, essa exigência já subiu para cerca de 1,2 vagas por apartamento.  Está acontecendo no mercado imobiliário nacional a aproximação de uma tendência que já se consolidou, há muito tempo, nas principais metrópoles do mundo ocidental (Londres, Nova York ou Paris). Nelas, os apartamentos tidos como sendo de luxo ou de alto luxo recebem essa classificação muito mais em decorrência de sua localização privilegiada do que em função de sua área construída. Essa tendência, da qual o mercado imobiliário nacional vem se aproximando, inclui também, outras características que levam à classificação "luxo" ou "exclusiva": o oferecimento pelos condomínios, de serviços especiais como lavanderias, salões de beleza, clínicas de estética e diaristas disponíveis, entre outras facilidades que melhoram a vida das famílias moradoras.


Todas essas observações no quesito "tamanho" devem ser levadas em consideração pelos potenciais compradores na hora da escolha da sua melhor opção de compra. Não é só uma questão de buscar um imóvel menor e mais prático. É, também, a necessidade de adquirir um apartamento que não já se apresente com uma desatualização original diante das demandas atuais. Afinal, uma má escolha nesse quesito, além de mais onerosa no momento da compra, pode levar à desvalorização precoce de um item que costuma ser o componente mais importante do patrimônio familiar.

  • COMPARTILHE:

21 comentários para "Seu Apartamento Ideal - Tamanho"

Renato Vieira dos Santos
Renato Vieira dos Santos disse: 13 novembro 2013
Gostaria de sugerir que voce fizesse uma análise dos valores de alugueis....sou de Marilia...interior sp....mas os preço praticados por aqui....estão de 30 a 40% acima de um valor justo....isso é uma análise minha....que não entendo nada...mas vejo que, principalmente os comerciais...estão cada vez mais caros e cada vez menos alugados...
Apartamentos do Futuro | nossoimovel
Apartamentos do Futuro | nossoimovel disse: 22 novembro 2013
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Atendimeneto MRV Engenharia
Atendimeneto MRV Engenharia disse: 06 maio 2016
Olá Maria! Ficamos felizes que as dicas foram úteis =)
Blog Corporativo MRV Engenharia -?? Mercado Imobiliário e lançamentos de apartamentos e casas
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Clauton Veloso Pugas
Clauton Veloso Pugas disse: 22 novembro 2013
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Fernanda Ferreira
Fernanda Ferreira disse: 22 novembro 2013
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Por que os imóveis na planta se valorizam tanto? | Guia do Empreendimento
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
SEGURANÇA EM CONDOMÍNIOS FECHADOS | Imóveis Pronto e na Planta (11) 96785-8687 Nurishaa da Abyara
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Seu Apartamento Ideal - Acabamento | nossoimovel
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Seu Apartamento Ideal - Preço | nossoimovel
[...] analisei a natureza do assim chamado "Bônus Demográfico". Em outro tópico, sob o título de "Seu Apartamento Ideal - Tamanho", mencionei que a queda continuada da taxa de fecundidade das brasileiras estava produzindo, como [...]
Priscila
Priscila disse: 30 dezembro 2013
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Priscila - Imóveis Guarulhos
Priscila - Imóveis Guarulhos disse: 30 dezembro 2013
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Priscila - Imóveis João Pessoa
Priscila - Imóveis João Pessoa disse: 30 dezembro 2013
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Priscila - Imóveis Maceió
Priscila - Imóveis Maceió disse: 30 dezembro 2013
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Priscila - Imóveis Pontal do Paraná
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Priscila - Imóveis Vitória
Priscila - Imóveis Vitória disse: 30 dezembro 2013
Além das familias terem "diminuido seu tamanho" a população aumentou e muito, e a cada dia que passa temos menos espaço, por isso a maioria das contruções de hoje em dia são apartamentos e não mais casas, todos moram juntos e empilheirados e com pouco espaço, mas a individualidade também cresceu todos usam carros e dispensam transportes coletivos, por isso as exigências mudaram, mas também as opções diminuiram.
Bruno França
Bruno França disse: 08 janeiro 2014
Excelente conteúdo, parabéns pelo blog.
Rubens Menin
Rubens Menin disse: 08 janeiro 2014
Obrigado por acompanhar o blog, Bruno.
Francimar
Francimar disse: 24 fevereiro 2014
Muito boa as informações que vc passou ao leito, lembrando sempre que apartamento e uma das melhores forma de investir. Parabéns pelo blog.
Júlio Silva Ribeiro
Júlio Silva Ribeiro disse: 22 abril 2015
Muito bom o conteúdo desse site. Análises bem precisas! Está de parabéns!
Jose Joares Wolowski Goncalves
Jose Joares Wolowski Goncalves disse: 25 janeiro 2016
Baita erro de concepção das construtoras. O Ideal seia apartamentos grandes com espaço sobrando. Afinal que paga é o cliente, cada vez mais se tem em casa eletrodomésticos e outras facilidades que não existiam no passado. Alem dissso as contrutoras devastam uma área e plantam dois coqueiros na frente dos predios. Poxa vida, custava deixar um criar um quintal com árvores de sombra e futiferas e um espaço de lazer ao ar livre ao lado dos predios ou nos fundos. Eta gentinha atrazada mesmo

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Melhoria nas Cidades

Publicado em 07 julho 2015

11 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, construiu e entregou a moradia de 260 mil famílias, desde a sua fundação, há 35 anos. Considerando que o tamanho familiar médio dos nossos clientes é de aproximadamente três pessoas por família, podemos garantir, com orgulho, que um a cada 250 brasileiros mora em um imóvel construído pela MRV. Mas, como perseguimos, obstinadamente, o objetivo de nos constituirmos em uma empresa perene e sustentável, fizemos mais do que simplesmente entregar moradias bem...
Leia mais »

Porque a Construção continua desempregando

Publicado em 31 março 2015

7 comentários

De acordo com o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, nos últimos cinco meses com dados já disponíveis (outubro de 2014 a fevereiro de 2015), o Setor da Construção Civil registrou um saldo negativo de 250 mil postos de trabalho. Em outros termos, nesse período e em todo o país as demissões excederam as admissões em cerca de 10% da força de trabalho contratada anteriormente. É o maior índice de desemprego entre todos os setores da...
Leia mais »

2014, um ano vitorioso

Publicado em 23 dezembro 2014

7 comentários

Tenho feito, a cada final de ano, uma avaliação resumida sobre o desempenho da nossa Construtora (MRV Engenharia) durante o exercício. Procuro, nessas ocasiões, dividir com os nossos clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e parceiros, informações sobre os eventuais sucessos e fracassos, preocupações e alegrias, previsões e realizações, usando, sempre que possível, uma linguagem de simples compreensão e imagens comparativas. Vou manter a tradição, mais uma vez.Apesar das dificuldades...
Leia mais »

Um setor em constante mudança

Publicado em 18 novembro 2014

2 comentários

18/11: A evolução tecnológica nem sempre tem sido bem compreendida, principalmente entre nós. É muito repetida a queixa de que a rápida automação de processos, a mecanização de tarefas e o uso intensivo dos recursos de informática estariam engolindo postos de trabalho ou comprometendo a empregabilidade. Essa é uma visão imprecisa de quem não enxerga o verdadeiro alcance do progresso e seu impacto positivo na renda e na qualidade de vida de todas as pessoas. Na prática, qualquer país, setor...
Leia mais »

Cidades Médias

Publicado em 11 novembro 2014

6 comentários

A nossa Construtora, MRV Engenharia, vem concentrando parcelas cada vez maiores de suas atividades nas assim chamadas "Cidades de Porte Médio" ou, simplesmente "Cidades Médias". O acompanhamento local e direto desse processo, iniciado há cerca de duas décadas, acabou por favorecer-me com uma visão privilegiada acerca da natureza, intensidade, continuidade no tempo, abrangência territorial e demais características do movimento natural que alcançou a maioria dos municípios com essa tipificação....
Leia mais »