Uma Omissão Imperdoável

Publicado em 21 junho 2017

O empresariado brasileiro é composto, em sua grande maioria, por lideranças responsáveis e comprometidas com os princípios da ética e da cidadania que fazem prosperar uma nação. Por isso, seria natural que essa parcela preponderante – isoladamente ou por meio das entidades de classe – se manifestasse em todas as oportunidades em que esse padrão de comportamento deixasse de ser observado em alguma ocasião especial, por qualquer agente importante. No entanto, estamos vivendo uma dessas ocasiões, sem que se ouça e se veja qualquer manifestação explícita de repúdio por parte desse importante setor econômico ou de seus representantes. Refiro-me ao terremoto produzido pela delação premiada da JBS, com todos os seus detalhes rocambolescos, e pelas declarações e entrevistas subseqüentes, feitas pelos principais executivos daquela empresa e amplamente divulgadas pela mídia nacional.

Na verdade, esses criminosos confessos foram rápida e profundamente execrados pela atônita sociedade brasileira, em que pesem os esforços de algumas correntes políticas interessadas em perdoar-lhes os pecados diante do estrago que a sua delação poderia trazer às hostes adversárias. Mas, faltou e ainda está faltando, a manifestação enfática dos empresários e de suas entidades representativas. De todos os criminosos envolvidos nesse lamaçal, o que ficou em maior evidência foi Joesley Batista, não só pela sua personalidade menos circunspecta, como pelo papel que desempenhou no próprio processo de delação premiada e de negociação com a Justiça. Por essa razão, aponto para ele, simbolicamente, todas as observações que a situação impõe.

As atividades expostas e confessadas por Joesley Batista não correspondem ao padrão empresarial praticado no Brasil, nem em qualquer outra parte do mundo civilizado, e sua exposição despudorada, neste caso, teve apenas o péssimo efeito de reforçar o preconceito antiempresarial e a hostilidade no ambiente dos negócios que já vinham entranhadas na mentalidade dominante em nossa sociedade. É importantíssimo que todos fiquem esclarecidos de que essa prática não pode ser vista ou entendida como uma atividade empresarial. Trata-se, pura e simplesmente, de uma atividade criminosa e, neste caso da JBS, feita em larga escala. Pelas declarações despudoradas de Joesley Batista e do executivo Ricardo Saud, a sociedade brasileira ficou sabendo que o Grupo JBS corrompeu, sistematicamente, mais de 1900 pessoas, entre políticos, autoridades e funcionários públicos, aplicando nessa criminalidade desenfreada, bilhões de reais.
Empresário algum que tenha compromisso com as equipes que lidera, pode acreditar que sua atividade seja sustentável e saudável quando ela está baseada na corrupção sistemática de funcionários e autoridades governamentais, em favorecimento ilícito por parte de fiscais ou mesmo em benefícios indecentes por parte de agências públicas. Não é assim que a grande maioria do empresariado nacional trabalha e põe em marcha os seus negócios.

Mas faltou dizer isso claramente para os bandidos confessos deste caso e para a sociedade brasileira. E hora das nossas lideranças empresariais se posicionarem de forma enfática, utilizando todos os meios e recursos disponíveis. Essa obrigação está atrasada, mas nunca é tarde demais para se fazer a coisa certa.
  • COMPARTILHE:

Deixe uma resposta O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

O Indispensável Estado de Direito

Publicado em 08 junho 2017

Os constituintes de 1988 tiveram o cuidado de destacar na nossa Carta Magna as assim chamadas “cláusulas pétreas”, ou seja, os dispositivos permanentes que não podem ser eliminados ou substancialmente alterados, nem mesmo por Emenda Constitucional, ainda que esta venha a tramitar regularmente no Congresso Nacional. Não inovamos neste aspecto. Pelo contrário, esse cuidado tem sido observado em muitas outras circunstâncias e países. No nosso caso, cuidamos de proteger disposições importantes,...
Leia mais »

Operação Carne Fraca: Lições e Reflexões

Publicado em 20 março 2017

Quando se preparavam para encerrar mais uma semana nesta atribulada temporada, os brasileiros foram surpreendidos pelas notícias de uma mega operação deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, na última sexta-feira, sob o codinome de “Carne Fraca”. O alcance dessa operação, todos já conhecem: foram mobilizados mais de 1.100 agentes policiais em diversos estados e executados 309 mandados judiciais, incluindo prisões preventivas, prisões temporárias e conduções coercitivas, além...
Leia mais »

Manifestação de Confiança

Publicado em 31 outubro 2016

1 comentários

Ou, trocando em miúdos: "A maior indústria do Brasil passa por seu pior momento, mas existe uma luz no fim do túnel".Este ano de 2016 está sendo particularmente difícil para a indústria da construção civil brasileira. Evidentemente, esse setor não poderia passar ao largo da intensa crise financeira que assola o país, decorrente de um profundo e irresponsável desequilíbrio fiscal e que vem gerando, como conseqüência, recessão, descapitalização, perda generalizada de renda e desemprego. Ninguém...
Leia mais »

Falsos Privilégios

Publicado em 26 setembro 2016

4 comentários

No início deste mês, o Ministro Geddel Vieira Lima pronunciou uma frase que alcançou grande repercussão, mesmo não tendo sido entendida, por muitos, em seu exato significado: "Tomei uma injeção e doeu. Doeu demais, mas fui convencido pelo médico de que era necessária e agora já estou me sentindo muito melhor". Com essa frase, o Ministro tentava explicar que, tal qual a injeção dolorida, as reformas previdenciária e trabalhista são absolutamente necessárias e que o governo teria que convencer a...
Leia mais »

Imprensa Livre

Publicado em 13 setembro 2016

À medida que o processo civilizatório da humanidade acelerava o seu curso, principalmente nos dois últimos séculos, foram se firmando os conceitos de que todo indivíduo possui os direitos, mutuamente associados, de, por um lado, expressar livremente a sua opinião e, de outro lado, de ter acesso desimpedido à informação e ao noticiário. Esse par de conceitos fundamentais acabou por ser sintetizado no valor daquilo que se convencionou chamar de "direito à existência de uma imprensa livre",...
Leia mais »